Para escrever melhor – Os desafios da escrita #1

Vagueando pela internet como é de praxe  em uma sexta a noite eu me deparei com o site Literatura Corrosiva. Estava procurando algumas dicas de como melhorar minha escrita e achei um post muito interessante: 6 PEQUENOS EXERCÍCIOS PARA JOVENS ESCRITORES.

Resolvi tentar.

Esse é o primeiro desafio:

Escreva uma pequena cena dramática em que duas pessoas conversam e, cada uma delas, possui um segredo que a outra desconhece. Detalhe: os segredos não podem ser revelados aos leitores. Ser criativo envolve saber brincar com o sigilo de seus personagens e manter leitores curiosos com o desfecho.

Sentada sozinha ela balançava o pé da perna cruzado no ritmo de seus pensamentos. Ele estava atrasado. Nenhuma novidade, ele sempre estava atrasado. Depois de vários minutos, dois cafés e muitas balançadas ele chegou. Olhou ao redor procurando-a. Caminhou até mesa, sorriu um sorriso sem graça. Ela olhou de volta, não se levantou. Ele sentou.

Sentados, um de cada lado da mesa em um café qualquer.

– Sabe, nunca imaginei te encontrar em um ligar assim? – Olhou ao redor como se estivesse dentro de um filme de terror.

– Assim como? Um café?

– Assim tão… normal.

Ela olhou ao redor avaliando o ambiente que escolhera para aquele reencontro. Não tinha nada a ver com o passado deles, o que eles eram. Talvez por isso mesmo eles estivessem ali.

– Pois é, nem eu.

Muito tempo passou e nada neles parecia familiar. De um lado a barba por fazer e o brinco na orelha se transformaram em um rosto liso e uma bela jaqueta. De outro as roupas decotadas e o salto alto deram lugar a um par de sapatilhas e uma maquiagem discreta. A cara lavada de ambos queria dizer ao outro tudo aquilo que ficou guardado. Mas faltava coragem, faltavam palavras.

Ele pediu um café, algo para beliscar. Ela pediu seu terceiro café. Continuaram sentados, tentaram conversar. Nada fluiu. Sempre que um começava uma frase nova sentia aquela presença. Aquele segredo. Ele guardava os dele e ela escondia os dela. Como crianças brincando de ciranda eles rodavam de um lado para o outro sem chegar a lugar algum.

Não havia pra onde ir.

– Fiquei feliz que você veio – não era mentira, mas nem totalmente verdade.

– Fiquei feliz de ter vindo – idem.

Trocaram um olhar e no meio de tanto disfarce, algo de verdadeiro passou entre eles. Ela enrubesceu, mas não desviou o olhar. Encarava-o como se quisesse abri-lo para ver lá dentro. Ele sentia seu olhar, pela primeira vez não havia cobrança, vergonha ou medo. Nem nele, nem nela. Ambos estavam entregues e verdadeiramente ali.

Ele esticou a mão sobre a mesa. Tocou levemente seus dedos.

– Eu sei – disse com a leveza de um sussurro.

– Eu sabia… – disse ela sem maldade – Quer saber? Eu também sei.

– Que bom.

Ambos sorriram. Ela levantou. Tocou levemente seu ombro. Passou por ele, pela porta e pela vida sem olhar para trás. Ele sorriu, devagar. Pediu outro café.

– E um bolo de chocolate, com cobertura e recheio.

Advertisements

Dieta vs. Reeducação Alimentar

*Texto não publicado*Teste para a escrita sobre Dieta e Alimentação*423 palavras*sem fotos*

Hoje em dia parece que todos estão de dieta. Mulheres, homens, adolescentes e crianças. Todos estão procurando manter-se ou alcançar a “forma ideal“. A cada dia mais e mais dietas inundam o mercado e qualquer um pode se sentir perdido. Porém, com uma simples visita a um (ou uma) Nutricionista nós nos deparamos com duas outras palavrinhas que fazem toda a diferença: Reeducação Alimentar

Mas o que é isso? 

Reeducação é o nome de um processo para a mudança de hábitos alimentares. Muitas vezes dietas são apenas uma lista de recomendações alimentares que quase nunca leva em conta o que realmente é possível na vida da pessoa. Quando falamos de Reeducação estamos falando de algo mais completo e não tão complexo.

A Reeducação envolve, além da mudança na hora de fazer o prato, uma boa dose de exercícios voltados para cada tipo de necessidade. Então é importante conhecer as diferenças entre as diversas atividades físicas (cardiovasculares, de flexibilidade, força e muitos outros).

Reeducação é mais difícil que Dieta!

Na verdade, o que ocorre é uma diferença na hora de por a mão na massa. Por ser mais “direta” muitas pessoas pensam que a Dieta é mais fácil de manter e mais eficiente na perda de peso. Mas é exatamente por ser tão direta que a Dieta, sozinha, pode ser muito perigosa.

Quando falamos em Reeducação alimentar estamos levando em conta uma série de mudanças em nossos hábitos. E sempre que tentamos mudar nossos hábitos temos de bater de frente com atitudes que tomamos por toda a nosso vida.

Muitas Dietas deixam claro que não devem ser seguidas por muito tempo. Como a Dieta da Sopa ou da Proteína, por exemplo. Isso porque o objetivo de tais dietas é nos fazer secar. Por isso elas reduzem drasticamente a entrada de algumas substâncias para que possamos perder uma grande quantidade de gordura em pouco tempo. É aí que está a diferença mais importante dessas duas posturas.

A Reeducação procura trabalhar com aquilo que é habitual para nós. Ou seja, o que fazemos com uma certa naturalidade. Quando trabalhamos com a Reeducação queremos que nossos hábitos mudem para sempre. E não somente em uma semana ou mês específicos. A Reeducação permite que analisemos profundamente nossas necessidades e possibilidades alimentares. Somente depois de uma analise bem pensada podemos ter certeza do que devemos comer e quando.

Por isso, visite um Nutricionista antes de iniciar qualquer mudança radical. Procure entender sua rotina e não siga cegamente aquela Dieta que a tia da sua vizinha indicou par sua prima.

Fontes:

http://www2.uol.com.br/vyaestelar/reeducacao_alimentar.htm
http://www.unimedlondrina.com.br/cliente/canais/saude-todo-dia/25/02/2013/reeducacao-alimentar-x-dietas-da-moda/
http://www.diferencaentre.com.br/dieta-e-reeducacao-alimentar
http://www.tuasaude.com/emagrecer-com-reeducacao-alimentar/

12 de Agosto, 2013

Todos os dias eu sento no mesmo lugar, como o mesmo prato para o almoço, penso as mesmas coisas e faço o mesmo trabalho. Há muito tempo estou presa e parada nessa maré tão calma. Durante esses longos sete anos nunca me incomodou. Mas hoje algo está diferente. É como um formigamento na alma. Não consigo mais ignorar que há sete anos eu trabalho no mesmo lugar, como a mesma coisa no almoço e vivo exatamente o mesmo dia, dia após dia. Como que uma coisa que nunca antes me chamou a atenção é agora o único pensamento em minha mente. Sinto um leve tremor nas mãos, apesar do vento frio que sopra no pátio eu sei que não é o vento frio de agosto que me assombra. Sou eu mesmo e a sombra que me tornei. 

Voltei para minha mesa e não consegui voltar ao trabalho. Olhei para a tela esperando que algo acontecesse. Que um sinal divino viesse e me mostrasse a verdade nisso tudo. Fiquei esperando que pelo menos alguém notasse que eu não estava trabalhando. Ninguém notou. Meu trabalho é muito simples e não muito urgente. Apesar de ser relativamente importante as pessoas só me notam na hora que aparece um problema. São raras essas ocasiões. E mesmo depois dos meus vários minutos de ócio nem um simples problema apareceu para me trazer de volta para o mundo real. É como se o universo quisesse que flutuasse para longe. E foi isso que eu fiz. Durante o resto do dia eu sentei em frente ao computador e encarei a tela. Em alguns momentos implorando para que alguma coisa acontecesse. Nada aconteceu.